Na palma da mão: o potencial educativo das tecnologias digitais na primeira infância

A tecnologia permeia nosso cotidiano […]

2 de maio de 2024

A tecnologia permeia nosso cotidiano a cada dia mais, muitas vezes de maneiras que nem percebemos. Seja através do smartphone na palma da mão, do robô aspirador que mantém a casa limpa, ou da assistente de voz que organiza listas de compras ou reproduz músicas ao seu comando.

No contexto educacional, essa dinâmica permanece a mesma; a tecnologia tem integrado cada vez mais o processo de ensino e aprendizagem das crianças e adolescentes e se tornado uma poderosa aliada na educação, oferecendo oportunidades de aprendizagem significativa para os nossos filhos.

É inegável que a tecnologia é extremamente atrativa para as crianças e jovens das novas gerações. Mais que transcender fronteiras geográficas, ela proporciona acesso a uma variedade de conhecimentos a apenas alguns cliques de distância. O contato com as telas na primeira infância, por exemplo, contribui para o desenvolvimento de habilidades linguísticas, cognitivas e sociais, ao mesmo tempo em que estimula a criatividade, o pensamento crítico e a resolução de problemas.

E as vantagens não param por aí! As telas também se revelam recursos enriquecedores no contexto da aprendizagem ativa, onde as crianças assumem o controle de sua própria exploração e descoberta. Além disso, elas desempenham um papel fundamental na promoção da inclusão e acessibilidade, permitindo que todas as crianças, independentemente de suas necessidades específicas, participem plenamente das atividades educativas.

Embora a tecnologia tenha trazido benefícios consideráveis para a aprendizagem, é crucial ressaltar a importância de seu uso com cautela. Assim como em diversos aspectos de nossa vida, o equilíbrio é fundamental, pois o excesso pode gerar consequências negativas.

O excesso de tempo diante das telas, por exemplo, pode impactar negativamente o desenvolvimento cognitivo e emocional de nossos filhos, interferindo diretamente no próprio processo de aprendizagem. Isso significa que é essencial utilizar as telas – e a tecnologia, de modo geral – de maneira apropriada e no tempo adequado. Para se ter uma ideia, a Sociedade Brasileira de Pediatria estabelece as seguintes orientações:

 

  • Crianças menores de dois anos não devem ter contato algum com telas;
  • Para crianças de dois a cinco anos, a exposição a celulares e tablets é limitada a uma hora por dia;
  • Entre seis e dez anos, esse tempo aumenta para duas horas diárias;
  • Para os mais velhos, o ideal é de até três horas por dia.

Além de seguir as recomendações sobre a quantidade adequada de horas frente à tela para cada faixa etária, outros cuidados são igualmente essenciais:

 

  • É fundamental que, durante todo o tempo em que a criança estiver diante da tela, haja supervisão de um adulto responsável;
  • Priorize atividades educacionais, buscando conteúdos que estimulem o aprendizado e o desenvolvimento infantil;
  • Sempre verifique o conteúdo ao qual a criança está sendo exposta, garantindo que seja apropriado para a sua idade e promova valores positivos.

Pai auxiliando filho com tablet.

Para auxiliar você, papai, mamãe e/ ou responsável a utilizar a exposição às telas da melhor maneira possível, apresentamos 5 dicas de atividades para realizar com o auxílio da tecnologia:

1) Experimente aplicativos educacionais que sejam adequados à idade e aos interesses da criança, proporcionando aprendizado de maneira interativa e divertida. Um excelente exemplo são os aplicativos de alfabetização, que ajudam as crianças a aprenderem a ler e escrever de forma envolvente e estimulante.

2) Incentive a criança a assistir a vídeos educativos, como documentários sobre a natureza, ciência ou história, ou até mesmo desenhos animados que tenham conteúdo relevante para o aprendizado e desenvolvimento dos pequenos.

3) Apresente e proponha jogos digitais que incentivem o pensamento crítico, a resolução de problemas e o trabalho em equipe, proporcionando momentos de diversão e aprendizado em conjunto;

4) Explore audiolivros como uma alternativa envolvente para estimular a imaginação e o amor pela leitura em seu filho. Eles são excelentes recursos para desenvolver habilidades de escuta e compreensão auditiva.

5) Utilize recursos on-line para explorar novos aprendizados em conjunto. Experimentem assistir a tutoriais de culinária e preparar uma receita juntos; usar aplicativos de idiomas para aprender novas palavras; ou buscar por tutoriais de atividades de arte. Lembre-se sempre de considerar o que é apropriado para a faixa etária de seu filho.

Embora as telas possam ser aliadas no processo educacional das crianças, é crucial lembrar que a vida não se resume ao mundo digital. Ela está acontecendo lá fora, e por isso é essencial que os pequenos tenham experiências ao ar livre e interações presenciais. O contato com a natureza e as atividades ao ar livre não só promovem o desenvolvimento físico, mental e emocional das crianças, mas também estimulam a criatividade, a imaginação e a conexão com o mundo ao seu redor.